quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

A busca por objetivos



Quando pequenos alcançar uma planta, ou qualquer objeto é uma aventura, falta de coordenação motora e de noção de profundidade faz com que uma atividade simples fique muito dura, mas em questão de meses esta atividade será fácil afinal nosso instinto de sobrevivência fará o papel de professor e aprimorará nossos movimentos.

Com o passar do tempo trocamos nossos objetivos, e tentamos alcançar coisas cada vez mais intangíveis, relacionamentos amorosos, status social, posições de destaque na empresa e tantas outras coisas, mas acabamos nos frustrando quando não os alcançamos no tempo desejado.
O problema é que normalmente não paramos para verificar quais qualidades, técnicas e etc precisamos aprimorar para chegar lá.

O que antes era obvio, começa a ficar nebuloso, saber qual qualidade precisa ser desenvolvida vira um martírio, pois agora temos vaidade e ego, duas “qualidades” que não aceitam facilmente que estamos errados ou que precisamos melhorar em alguns aspectos.





2 comentários:

Anônimo disse...

Nosssssa... Olha quem eu achei...

Adivinha quem ta falando.... risos... Sou euuuuu, peguei você.... risos...

Brincadeiras à parte...

Meu amigo mais antigo, isso mesmo, ainda lhe considero um amigo... E por sinal o mais antigo... O primeiro de.... poucos.... risos... O primeiro desde que comecei a formar minha personalidade...

Sempre enxerguei pontos positivos em você, os quais queria levar comigo durante toda minha vida... Talvez tenha mais de você, do que eu mesmo possa perceber... Talvez não tenha mais nada... Talvez você seja outra pessoa hoje... Talvez não...

Esse talvez que nos impõe tantas incertezas, nos ajudam a lembrar da pluralidade da vida.

As lembranças de amizade são profundas, talvez mais do que as lembranças sobre o porquê nos afastamos e não retomamos nossa amizade, assim que voltei a São Paulo.

Lembro de momentos de 94, 95, 96... Lembro do Maroto que me ensinou a jogar TRUCO, ou melhor, me ensinou as regras.... Só fui APRENDER a jogar, REALMENTE, alguns anos depois. risos...

Lembro das nossas rampas improvisadas para andar de patins nas "cabuladas" de aula...

Lembro de outro amigo em comum...

Lembro que apesar de ser um baita "cabaço"(o que não era um necessariamente um defeito, mas uma condição que me atrapalhou um pouco) na época, você sempre teve a paciência em me acompanhar. O motivo? Só você pode me falar...

Um dos 4 ou 5 amigos que foram em casa até meus 16 anos... Isso mesmo, poucos amigos, por vários motivos...

Meu amigo, tanto tempo se passou, tantas águas rolaram para nós...

Não é mesmo???

Sai de casa cedo, 16 anos, quase uma criança... Mas a criança aprender, cresceu, amadureceu, sofreu, aprender mais, sofreu denovo, aprender ainda mais... Assim como todos nós, mas numa velocidade, muuuito, maior.

Logo eu, o mais inexperiente, fui buscar uma carga quase que irracional de experiências, em um período tão curto.

Talvez tivesse que ser assim, talvez não... Mas o que importa é que sou o que sou, por causa das minhas escolhas e não renego isso.

Todos deveriam ser e transparecer suas escolhas, mas o medo muitas vezes impedem as pessoas de serem transparentes e de mostrarem sua essência.

Lembro de uma tentativa de contato que tivemos, mas que foi infrutífera. Não me lembro o motivo, não sei se foi por falha minha ou pelo momento que passamos.

Caso lhe tenha feito algum mal ou tenha lhe chateado, lhe peço desculpas, sempre tive muito carinho e respeito por você.

Espero sinceramente que a mesma amizade que, ao menos para mim, parecia que tínhamos, mesmo que na época, não tivesse uma personalidade formada , possamos ter de agora em diante.

Não li o blog inteiro ainda... A primeira atitude ao perceber de que se tratava do seu blog, foi escrever este.

Deixe contatos, e-mail, twitter, MSN, ID, Cel., enfim...

Na espera em poder relembrar e entender todas as lacunas,

Um forte Abraço.

Murilo

Rafael Maroto disse...

Grande Murilo!!

Nossa uma enorme surpresa seu comentário aqui, ainda mais com todas as palavras ditas...lógico que podemos manter nossa maizade.

Por favor vamos marcar algo, conversar tomar alguma coisa e lembrar um pouco do passado, afinal recordar faz muito bem....

SObre alguns pontos que colocou em seu texto eu não tenho respostas, acredito que não seja mais o mesmo de antes, mas muita coisa com certeza eu mantenho em mim....portanto só conversando podemos descobrir...

Me add no face http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=1798088164 e de lá vamos marcando algo....

Um prazer voltar a falar contigo...

Abraços